sábado, 19 de janeiro de 2019

[Política Traduzida] Após atritos, Paulo e FBC fazem gesto de aproximação


Foto: Equipe FBC

Em uma demonstração de força política, o governador Paulo Câmara reuniu, de forma inédita, os três senadores de Pernambuco no Palácio do Campo das Princesas para discutir os principais projetos do Estado para este ano. Cada parlamentar elencou também o que seriam suas prioridades para o Estado e mostraram afinação para cobrar do Governo do Federal a retirada dessas ações do papel.

Em todos as rodas de conversa, o que mais se destaca é a presença do senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) na reunião. Para quem não lembra, FBC foi eleito ao lado de Paulo Câmara em 2014, mas rompeu com o governador para se lançar candidato. No entanto, sua vontade não se concretizou e ele acabou apoiando Armando Monteiro na eleição passada. Além de apoiar Armando, Bezerra se transformou no principal orador da oposição.

Enquanto para alguns, a presença do senador é vista como um gesto de grandeza e simples aproximação institucional, para outros, isso seria o início de uma reaproximação política entre os ex-companheiros de partido e chapa.

Pernambucano na Presidência — Decano da Câmara Federal, ou seja, o deputado com maior número de mandatos, Gonzaga Patriota (PSB) vai presidir a sessão plenária que elegerá o novo presidente da Casa. Caberá a Gonzaga decidir sobre uma possível questão de ordem pelo voto aberto, defendido pelos meninos do MBL e outros bolsonaristas. Deve rejeitar a questão se ela for levantada, visto que técnicos da Câmara e do Senado defendem o sigilo.

Novo deputado — A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) ganhou um novo deputado na quarta-feira (16). Com a renúncia de Odacy Amorim para ser presidente do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), o primeiro suplente da sua coligação em 2014, Osmar Ricardo (PCdoB), herdou o seu mandato na Casa Joaquim Nabuco.

União da esquerda — A deputada estadual Manuela D´Ávila (PCdoB-RS), que foi vice de Fernando Haddad (PT) nas eleições de outubro, parece não ter curtido a decisão do seu partido em apoiar a reeleição de Rodrigo Maia na Câmara. Para Manu, teria que fazer uma união da esquerda.

Posição do PSB — O líder do PSB na Câmara dos Deputados, Tadeu Alencar (PE) garantiu que na segunda-feira (21) a sigla decidirá com vai andar na disputa para presidência da Casa. Os socialistas pernambucanos querem Maia, porém o apoio do PSL ao atual presidente tem pesado contra.

Governo versus Renan — Renan Calheiros (MDB-AL) começa a sentir o peso do governo contra sua candidatura à Presidência do Senado. De um lado, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni (DEM-RS), articula a candidatura do seu correligionário do Amapá, senador Davi Alcolumbre. O PSL, partido do presidente, lançou o  Major Olímpio (SP). E setores governistas tentam fazer a candidatura do tucano Tasso Jereissati decolar.

Perguntar é de graça — O Palácio prefere Priscila Krause ou Marco Aurélio como líder da oposição na Alepe?

Comentários

0 comentários :

Postar um comentário