segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

Expectativas para o 2019 o Trio de Ferro do Recife


Um dos anos mais complicados do Trio e Ferro começará, oficialmente, nesta semana
Fotos: Williams Aguiar/SCR; Jota Santana/SFCF e Léo Lemos/CNC
O futebol pernambucano passou por um dos seus piores momentos em 2018. E a conta, que veio se acumulando nos últimos anos, está sendo paga agora. Na capital, dois times na Série C e um na Série B, que chegam em momentos distintos neste início de temporada. O Sport vive um período de reconstrução após ser deixado em “terra arrasada” pela gestão de Arnaldo Barros. O Santa Cruz apresenta um ambiente ainda incerto, que não passa segurança ao torcedor, mas que dá sinais de mudanças. Já o Náutico, com a boa temporada que fez no ano passado, está nos trilhos para se reerguer e alçar novos voos.

Sport

O Leão gastou mais do que poderia nos últimos anos. O saldo disso foi acumular quatro meses de salários atrasados para os atletas. Fator que permitiu que eles acionassem o clube na Justiça para ter seu contrato rescindido. Além disso, o Rubro-negro se desfez de atletas de alto custo, mas não teve como lucrar com a venda. A moeda de troca para liberação era o perdão das dívidas. E essa debandada ainda pode aumentar. A gestão de Milton Bivar tem muito a correr atrás para equacionar os gastos. Como o próprio presidente fez a analogia de que “o Sport vai andar de ônibus”, o torcedor leonino deve esperar por mais um ano complicado e, neste momento, é quando o clube mais precisa dele.

Santa Cruz

O Tricolor vem de um 2018 ruim, em que falhou na hora das decisões dentro de campo e sofreu com duros golpes. Eliminação nas quartas do estadual para o Sport, por 3 a 0, eliminado pelo ABC na Copa do Nordeste, sofrendo um 4 a 1 no Arruda, e permanecendo na Série C ao tomar um acachapante 3 a 0 do Operário-PR, em Ponta Grossa. Fim da temporada também foi complicado financeiramente, mas que apresenta ajustes e diferenças na mentalidade da gestão, o que pode indicar um novo rumo. Dentro de campo, um time organizado e coeso nos amistosos, gerando uma expectativa boa entre os torcedores para o começo das competições. Na estreia do Nordestão nesta terça (15), contra o Botafogo-PB, um bom resultado pode ajudar mais ainda para aproximar o torcedor coral, que se afastou nos últimos anos - tendo suas razões para isso.

Náutico

2018 só não foi perfeito para o Timbu pois faltou o acesso. Entretanto, a organização administrativa o clube, com o pagamento a folha salarial em dia, gastando o que a receita permite e, principalmente, retornar ao estádio os Aflitos, pavimentam a ideia de um 2019 positivo para o Náutico. A reaproximação dos alvirrubros que pouco iam a jogo na Arena, é um os grandes fatores que ajudarão a impulsionar a temporada. A expectativa por bons resultados também existe pela manutenção de parte da equipe do último ano, juntamente com a chegada de reforços como Jorge Henrique e Maylson, além do prosseguimento do trabalho de Márcio Goiano. Contudo, o clube não pode se permitir entrar em um clima de “oba-oba”. Seguindo a receita de 2018, pode-se esperar um Náutico crescente e alçando vôos mais altos.
Comentários

0 comentários :

Postar um comentário