sábado, 8 de dezembro de 2018

Agressividade, experimentações, ironias e conversa olho no olho: And Justice For None


Five Finger Death Punch/Reprodução

Five Finger Death Punch (FFDP ou 5FDP) é uma banda de heavy metal dos Estados Unidos, que passou por diversos problemas nos seus últimos três anos. Muitas brigas internas aconteceram por conta de seu vocalista, Ivan Moody. Ele, até então viciado em álcool e outras drogas, vinha fazendo vários shows fora de si, prejudicando o rendimento da banda como um todo. Em um capítulo que parecia ser decretada a via crucis do conjunto, Ivan anunciou sua saída do grupo em pleno show e alegou a morte de sua mãe como um dos fatores para tal – falecimento negado pela família do cantor. Após o caso, ele foi para a reabilitação e está perto de alcançar um ano de sobriedade. Este período o fez repensar e, como uma das mentes criativas do FFDP, pôs a experiência que passou nas letras do mais recente álbum da banda, de maio de 2018, o “And Justice For None”, sétimo disco lançado pelo quinteto.

Caracterizado por seu ritmo agressivo em várias músicas, aliadas a canções emotivas e reflexivas que viraram grandes sucessos da banda – como Wrong Side Of Heaven, Remember Everything e Coming Down -, o Five Finger Death Punch se permitiu experimentar neste último lançamento. A versão Deluxe do álbum conta com 16 faixas e já chega “chutando a porta” com Trouble, que começa de maneira enérgica com seus riffs rápidos de guitarra na introdução. Ela é um relato do seu vocalista sobre várias situações ruins que passou e causou aos seus companheiros, como ele fala no refrão “I don’t look for trouble. Trouble looks for me” (em tradução literal: Eu não procuro por problemas. Problemas procuram por mim). O teor crítico e de indireta para alguém, ou algumas pessoas, aumenta em Fake e Top Of The World. Parecem ser mensagens direcionadas à busca por fama e às coisas que ela carrega consigo, que podem vir repletas de sentimentos ruins para quem a alcança. Depois, vem a primeira experimentação da banda. Sham Pain – trocadilho com champanhe -, é uma música irônica desde seus versos até o seu instrumental. A guitarra principal apresenta riffs mais cadenciados e imita o som de fogos de artifício ao fim do refrão, acrescentando com sucesso um toque de humor.

A coletânea segue com outra experiência nova, que é o cover de Blue on Black, música popular do country estadunidense, mas com uma “pegada” de heavy metal. Logo após, outra mais agressiva, mas com tons de ironia bastante latentes: Fire In The Hole. Depois, finalmente vem o momento de maior seriedade da banda. I Refuse é uma música acompanhada de violão em que, com a bela interpretação do vocalista, ganha uma dramaticidade na qual se encaixa o momento vivido por ele enquanto dependente químico. Um dos pontos altos do disco. Em seguida, It Doesn't Matter retoma o teor mais pesado do FFDP.

A segunda metade do álbum mantém as variações entre músicas calmas e agitadas, porém, demonstrando mais seriedade. When The Seasons Change é outro momento em que o cantor chama você para conversar de maneira mais séria, com uma letra mais densa e marcando outro ponto alto do álbum. Stuck My Ways e Rock Bottom elevam o ritmo ao heavy-metal, antecedendo o grande cover feito por eles. Gone Away, música do The Offspring, cantada de maneira mais lenta e sentimental do que a versão original. Essa é tal da “porrada” característica do Five Finger Death Punch que é presente a cada álbum novo, já que há sempre ao menos uma música mais emotiva, possuindo a intenção de mexer com os sentimentos do fã. Bloody, Will The Sun Ever Rise, Bad Seed e Save Your Breath fecham o álbum de maneira linear, contendo a assinatura do quinteto. Junto a isso, acompanha a capacidade de Ivan Moody de transitar sua voz entre o gutural ou drive para o suave, de um verso para o outro.

“And Justice for None” é uma grata surpresa, por carregar consigo a marca do Five Finger Death Punch e apresentar ramificações que se desprendem do som característico deles. Novas portas foram abertas para se imaginar o que o grupo poderá criar e gravar nos seus próximos discos, se permitindo inovar e sair da zona de conforto que os acompanhou de modo mais forte anteriormente.
Comentários

0 comentários :

Postar um comentário